Convivência entre ratos e humanos – os perigos dessa relação
Animais
Convivência entre ratos e humanos – os perigos dessa relação

A história dos ratos é antiga, eles convivem conosco há pelo menos 10.000 anos, sendo um problema desde o começo do cultivo de agricultura. Depois de todo esse tempo se espreitando em nossas casas, não é novidade que os dentuços tenham aprendido, e muito bem, nossas falhas e manias, conseguindo escapar de nossas arapucas e viver em segurança.
Esses animais, tão pequenos e temidos, escolheram as cidades para viver desde os primórdios, e não à toa: “Nós fornecemos muita comida e boas condições de sobrevivência para eles”, afirma Neide Ortêncio Garcia, do Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo. Isso explica a população tão numerosa das três espécies que vivem compartilhando esgotos, ruas e frestas das casa, sendo elas a ratazana (Rattus norvegicus), o rato de telhado (Rattus rattus) e o camundongo (Mus musculus).
 
Essa adaptação, combinada com sentidos astutos dos animais, faz com que sua captura e eliminação nos dias atuais seja extremamente difícil. Eles suspeitam de qualquer elemento novo colocado em um ambiente (como ratoeiras, ou alimentos envenenados), e só comem aquilo que confiam.
 
Entretanto, existe necessidade de exterminá-los e mantê-los longe de nossas casas, devido ao perigo que causam como transmissores de doenças. Os alimentos e ambientes contaminados por eles, estão sujeitos a mais de 55 tipos de enfermidades, segundo Normam Gratz, biólogo aposentado da Organização Mundial de Saúde (OMS). Essas doenças são espalhadas em uma rede global através da disseminação dos roedores, que levam em sua urina, bactérias e parasitas, doenças letais como a leptospirose, hantavírus, e a peste negra – doença que erradicou um terço da população européia no passado, e que ainda hoje pode ser transmitida por ratos.  
 
Com todos esses riscos trazidos, e com a incrível inteligência desses bichos, é importante prevenir infestações antes mesmo que elas aconteçam. Existe diferença nos espaços ocupados por cada espécie, sendo que camundongos exploram móveis, e lugares fechados e escuros, ratazanas cavam túneis no chão, e ratos de telhado ocupam o topo das casas e prédios. Por isso, é complexa a missão de livrar o convívio humano desses animais, porém não impossível.
 
Confira a seguir algumas dicas para evitar a proliferação de ratos no ambiente doméstico:

  • Não deixe resíduos orgânicos ao ar livre;
  • Proteja as caixas d’água, mantendo-as sempre fechadas e limpas;
  • Evite o acúmulo de materiais, embalagens e entulhos dentro de casa e, também, nas áreas próximas;
  • Mantenha as áreas próximas à residência livres de vegetação alta e, caso tenha jardim, procure mantê-lo sempre limpo;
  • Mantenha a ração dos animais domésticos em locais elevados do chão e afastados das paredes.

 
E caso a prevenção não seja suficiente, não desanime! Existem maneiras de conter os bichinhos, além de adotar um caçador natural – o gato. Caso as ratoeiras e venenos caseiros não funcionem, a melhor opção é contratar alguém que conheça a fundo o comportamentos dos ratos, e aplique estratégias comprovadas de eliminação de roedores.
Na Dedetizadora Matinseto, nossos técnicos são qualificados para realizar a contenção de roedores, os mantendo longe da sua casa, por meio de armadilhas especiais, produtos de qualidade, e técnicas desenvolvidas ao longo dos anos para acabar com ninhos e populações de ratos seja qual for o ambiente.
Acompanhe nossas postagens! Curta nossa fanpage:
https://www.facebook.com/Dedetizadora-Matinseto-1763436433932610/
 

prev
next

Leave a Comment