Carregando...

O risco...

Recentemente a mídia divulgou 2 casos de morte tendo como causa a criptococose

O risco dos pombos nos centros urbanos

Recentemente a mídia divulgou 2 casos de morte tendo como causa a criptococose (conhecida como a doença do pombo) em Santos no litoral de São Paulo, o que nos fazer lembrar mais uma vez o risco que esses animais podem apresentar para a saúde da população. Conhecidos como os ratos com asas, eles realmente tem motivos para serem chamados assim, a grande quantidade de pombos nos centros urbanos representam um risco a saúde. Nas fezes das pombas cresce um fungo, o Cryptococcus, que quando inalado pode desencadear uma série de doenças, como a criptococose (infecção pulmonar) e a meningite (inflamação da meningite) e a pneumonia. Mesmo o risco para uma pessoa saudável sendo relativamente baixo de se contrair alguma dessas doenças para pessoas com o sistema imunológico mais fraco isso acaba não sendo tão difícil e pode até mesmo a levar a morte. “O fungo se desenvolve em ambientes onde há fezes das pombas e quando essas fezes desidratam, viram pó, qualquer movimentação aérea, seja de vento ou varredura, ou até a pomba voando por cima, coloca os esporos do fungo em suspensão no ar”, explica Flavio de Queiroz Telles Filho, médico professor do departamento de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). A melhor maneira de se livrar dos pombos é tentando evitar hábitos que podem atrair estas aves, como alimentá-las mesmo assim não é uma garantia cem por cento eficaz. Também é necessário evitar que eles se alojem nos lugares, como nas casas e prédios, por isso o controle de pombos é tão fundamental para sua saúde e para ter uma melhor qualidade de vida evitando sujeiras indesejadas e possíveis riscos. É sempre bom deixar esse tipo de trabalho com profissionais especializados, por isso conte sempre com a Dedetizadora Matinseto para a realização do serviço com a segurança e a qualidade necessitada.

O risco dos pombos nos centros urbanos